Indígenas e criollos

 Indígenas e criollos

Preço
R$ 58,00

 Indígenas e criollos
Política, guerra e traição nas lutas no sul da Argentina (1852-1885)

Nas Américas, em diversos momentos e lugares, indígenas guerreiros, temidos e ferrenhos opositores à perda de territórios e poder, foram considerados bárbaros e, por essa causa, combatidos e exterminados. Esta foi uma prática generalizada que ocorreu, também, por exemplo, na chamada Conquista do Oeste, nos Estados Unidos e na Guerra aos Botocudos do vale do rio Doce, autorizada por D. João VI, em 1808. Esta excelente pesquisa do historiador Gabriel Passetti, agora transformada em livro, se debruça sobre o destino dos indígenas na Argentina no século XIX.
O livro começa com a adesão do coronel e cacique branco Manuel Baigorria, juntamente com os Ranquel, seus aliados indígenas, às tropas de Urquiza, em 1852, e termina com a rendição do último cacique livre, Saygueque, em 1° de janeiro de 1885. Assim, Gabriel Passetti mostra como a política de Estado de guerra contra os chamados bárbaros produziu um desfecho trágico, dizimando populações indígenas inteiras.
Este livro recupera essas histórias de guerras e extermínios, de habilidades para lidar com as novidades e situações por parte dos indígenas do sul da Argentina. Isto está registrado em um conjunto de documentos manuscritos que configuram estes movimentos de resistências e alianças, composto de cartas indígenas a militares, políticos e religiosos.


Sobre o autor: Gabriel Passetti é Doutor em História Social pela USP com a tese “O mundo interligado: poder, guerra e território nas lutas na Argentina e na Nova Zelândia (1826-1885)”, defendida em 2010. Atualmente é professor de História das Relações Internacionais na FASM (São Paulo) e coordenador da área de História da América Independente do GT de Ensino de História e Fontes da ANPHLAC. Publicou, em 2008, biografiaa de Bernardo O’Higgins, pelo Memorial da América Latina.

Peso (kg)
0,440